Em entrevista, Márcio Jerry prega unidade para 2022 e confirma candidatura à Câmara

Em entrevista ao Jornal O Imparcial veiculada nesta terça-feira (27), o presidente do PCdoB no Maranhão e secretário das Cidades e Desenvolvimento Urbano, Márcio Jerry, reforçou o compromisso de seu partido com o fortalecimento da legenda para as próximas eleições e com a continuidade do projeto iniciado por Flávio Dino (PSB). Ao veículo, Jerry afirmou que apesar da mudança de sigla, governador e partido seguem alinhados no projeto de consolidação das conquistas alcançadas para o estado nos últimos sete anos.

“Há momentos que você faz reposicionamentos táticos, mas você não sai da mesma trincheira de luta. O governador Flávio Dino é um aliado importante para o nosso partido PCdoB, sendo uma pessoa como se ainda estivesse no partido”, disse o secretário. “Temos chapa de deputados federais para concorrer no ano que vem [as eleições de 2022] e chapa de pré-candidatos a deputados estaduais”, apontou.

Diálogo para o Maranhão

Em análise sobre o contexto político feita ao repórter Samartony Martins, o deputado federal licenciado reiterou a importância do diálogo para chegar a um consenso no próximo pleito eleitoral e lembrou a boa relação do PCdoB com o PSB, atual legenda do governador. Ele também descartou prejuízos com a migração de Dino para a legenda socialista.

“Isso não nos trás prejuízo, como alguns inicialmente enxergaram. Nós não tivemos saídas além do governador Flávio Dino no nosso partido, que continua com a sua militância firme, e seus deputados continuam integrados ao partido”.

Sucessão de Flávio Dino

Citando a sucessão governamental, Jerry fez questão de deixar claro que a legenda comunista até o presente momento prega o sentimento de consenso e imparcialidade entre um possível apoio ao senador Weverton Rocha (PCdoB) e o vice-governador Carlos Brandão (PSDB), ambos pré-candidatos ao governo do estado no pleito do próximo ano.

“A unidade fez com que nós elegêssemos o governador Flávio Dino em primeiro turno em 2014 e reelegêssemos Flávio Dino em 2018 em primeiro turno. A unidade fez com que elegêssemos Carlos Brandão duas vezes vice-governador, que elegêssemos Eliziane senadora, que elegêssemos Weverton senador. Então, esse é o caminho da vitória. O Maranhão precisa da união desse grupo que faz a mudança no estado”, reafirmou o secretário da Secid, apontando os avanços estruturantes que o governo tem feito nestas duas gestões sob o comando de Flávio Dino.

Futuro político

Ainda sobre seu futuro político, Márcio Jerry confirmou que concorrerá a uma nova vaga na Câmara dos Deputados, mas não descartou abraçar novos desafios a partir do próximo ano.

“Disputarei a eleição de Federal no ano que vem. O nosso partido tem um desafio muito grande que é superar a cláusula da barreira. E para isso estou preparado para fazer uma grande campanha com fé em Deus e com a força do povo em conquistar uma grande vitória. Mas, evidentemente, com toda humildade que eu me sinto preparado para qualquer desafio. As pessoas para assumir uma função no Executivo, por exemplo, precisam ter biografia, e eu tenho. Precisa ter conhecimento do Maranhão, eu tenho e muitíssimo. Para ter uma vida pública marcada pela probidade, pela honestidade, eu também tenho, de modo que estou habilitado a disputar qualquer cargo dentro do Maranhão”, assegurou.

Desafios do próximo governador

Questionado sobre o que esperado do próximo nome que comandará o Executivo estadual, Márcio Jerry, afirmou que o futuro governador ou governadora terá um desafio imenso de dar sequência ao legado do atual governador Flávio Dino. “Não será fácil porque nunca se governou com tamanha performance como tem governado o companheiro Flávio Dino. Quem for sucedê-lo terá a missão de ampliar as escolas de tempo integral. A gente não tinha uma, agora tem cem. Ampliar os restaurantes populares. Tinha cinco, já estamos em 55 e chegaremos a 70. Fazer com que a gente tenha mais hospitais regionais e macro regionais. Tínhamos 01 agora temos 14, e 18 regionais, policlínicas no estado do Maranhão que não tínhamos nenhuma. Temos o [Projeto] Sorrir, que é uma clínica odontológica que é da rede estadual. Enfim, nós temos que fazer com que este legado continue”, finalizou o deputado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *