“Adoece quem não tem cérebro”: deputado enquadra bolsonarista que desaconselhou uso de máscara

Vice-líder do PCdoB, o deputado federal Márcio Jerry (MA) rebateu nesta segunda-feira (21) o colega de Parlamento, Daniel Silveira (PSL-RJ). Aliado de Jair Bolsonaro, Silveira escreveu em suas redes sociais que “as máscaras estão adoecendo as pessoas ”e que só usa o acessório “em locais que idiotas enchem o saco”. O deputado não apresentou qualquer prova ou argumento científico para embasar a própria tese.

“Máscaras devem adoecer quem não tem cérebro na cabeça. Deve ser o caso do deputado Daniel Silveira”, retrucou Jerry, diante da argumentação do parlamentar carioca.

Na postagem, feita no domingo, o pesselista afirmou também que estimula que a população se oponha à lei que determina o uso obrigatório do equipamento de proteção. Daniel Silveira testou positivo para a Covid-19, mas diz já estar recuperado.

“As máscaras estão adoecendo pessoas. Coloco somente em locais que idiotas enchem o saco e deixo o nariz descoberto. Existe a lei, mas se a sociedade não obedecer, ela cairá em desuso. Se o parlamento insiste em manter, o povo, dono da democracia, deve fazer valer sua voz”, escreveu Silveira, ignorando os quase 137 mil óbitos já registrados pela Covid-19 no Brasil.

O uso do acessório em público foi definido pela Organização Mundial da Saúde como forma de impedir e reduzir a propagação do novo coronavírus. Uma pesquisa feita na Alemanha apontou que o uso de máscara pela população pode reduzir em 40% a taxa de crescimento das infecções.

Outro estudo concluiu que o uso de máscaras reduz a carga viral a que a população está exposta e, se infectados, a manifestação da doença pode ser mais branda ou mesmo assintomática. A comunidade científica orienta que a forma correta de usar o acessório é cobrindo o nariz e a boca, já que o nariz é a principal porta de entrada do vírus no organismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *