Em Santa Filomena os vereadores eleitos da base do prefeito Idan Torres já definiram a futura composição da Mesa Diretora.

Vereadora Belzarina
No ultimo domingo
(24) o prefeito eleito em Santa filomena Idan Torres e o vice Dr Michel, se
reuniram com os vereadores eleitos que fazem parte do grupo vitorioso, Belzarina
Sousa Costa, Niterran Soares de Lima,  Ney
Ernesto, Maria Ilsa e Zé do Nacor.
Na ocasião  ficou decidido entre eles que a vereador
Belzarina será a presidente da Câmara, Niterran será o vive-presidente, Ney
Ernesto o 2º vice-presidente, Maria Ilsa a 1ª secretária e Zé do Nancor o 2º
secretário, a partir de 2017.

Nesta
primeira reunião fica provado que o grupo liderado por Idan Torres esta coeso e
ira junto fazer uma nova Santa Filomena. 

Edivaldo lidera com 55,1% contra 44,9% de Eduardo Braide diz pesquisa da DataM

O Instituto
DataM divulgou nesta sexta-feira (28), a terceira pesquisa de intenção de
votos para prefeito de São Luís neste segundo turno. De acordo com o novo
levantamento, o candidato à reeleição pelo PDT, Edivaldo Holanda Junior,
continua liderando com diferença de mais de 9 pontos percentuais à frente do
seu adversário, Eduardo Braide (PMN).
Considerando
apenas os votos válidos, que excluem brancos, nulos e indecisos, Edivaldo
cresce e registra vantagem de mais de 10 pontos. Edivaldo tem 55,1% das
intenções de voto contra 44,9% de Eduardo Braide.
Na pesquisa
estimulada, Edivaldo tem 52,5% das intenções de voto contra 42,8% de Eduardo
Braide. 2,6% disseram que não votariam em nenhum dos candidatos e 2,1% não
sabem ou não responderam.
Expectativa
de vitória
Independente
da intenção de voto, a maioria dos eleitores entrevistados acredita na vitória
de Edivaldo. 58,7% acham que o candidato pedetista será reeleito e 29,6%,
apostam que Eduardo Braide vencerá a disputa. 11,7% não sabem ou não
responderam.
Rejeição
Segundo o
levantamento a taxa de rejeição a Eduardo Braide continua sendo a maior. 49,1%
dos entrevistados não votariam de jeito nenhum no candidato do PMN, e 40,1%
disseram que não votariam em Edivaldo. 10,7% não sabem ou não responderam.

O
levantamento foi encomendado pela Rádio/ TV Difusora e Sindicato das Indústrias
da Construção Civil do Estado do Maranhão/ Sinduscon, e registrado na Justiça
Eleitoral, no dia 22 de outubro, sob o protocolo MA­01566/2016.

Do Blog do Clodoaldo Correia

Prefeito e vice eleitos de Alto Parnaíba foram recebidos por Marcio Jerry.

Prefeito
eleito de Alto Parnaíba , Rubens (PSDB) e o vice-prefeito eleito Conrado Junior
(PCdoB) foram recebidos pelo hoje (27) pelo secretário estadual de comunicação
e articulação politica Márcio Jerry. Durante o encontro foram abordados vários
assuntos na área da saúde, saneamento básico, mais asfalto e educação.
Márcio Jerry
se colocou a disposição para do prefeito para ajudar município no que for
preciso.
O encontro
foi articulado pelo superintendente articulação política do Governo do Estado,
Mavio Rocha, que vem mostrando muita competência na função.
Rubens e
Conrado Junior saíram satisfeitos do encontro e com a certeza que o governador
Flávio Dino irá ajudar Alto Parnaíba e seu povo.

Também participou
da reunião o presidente do PCdoB de Alto Parnaíba, Carlos Biah.

Governador entrega outorga para alunos que vão estagiar no exterior

A chance de
estagiar em outro país, de aprender uma nova língua e cultura e aprimorar
conhecimentos estão sendo garantidas, pelo Governo do Maranhão, a 22 alunos de
graduação, mestrado e doutorado, através do programa ‘Cidadão do Mundo, Estágio
Internacional’. Os bolsistas selecionados pelo edital do programa receberam,
das mãos do governador Flávio Dino, na tarde desta quarta-feira (26), o termo
de outorga para participar do intercâmbio em nove países.
Em conversa
com os alunos, o governo ressaltou a preocupação da gestão em investir em
formação e qualificação, ainda mais fora do país, quando o estudante, com a
troca de experiências, volta com mais conhecimento para ser empregado no
estado.
“Dezenas de
jovens, na verdade já passamos para centenas, que participam do programa
Cidadão do Mundo nas suas várias modalidades, estão tendo a oportunidade de
trocar conhecimento, de ter acesso a novas realidades culturais, entender que o
conhecimento historicamente acumulado é produzido em rede e coletivamente, por
isso é muito importante que haja oportunidades como esta. Com isso eles vão
aprimorar o seu engajamento nas pesquisas, desenvolver ainda mais seus talentos
e servir de exemplo para que outros tantos se animem a ter essa oportunidade”,
disse o governador Flávio Dino.
Ele ainda
completou, explicando que “ao mesmo tempo que faz com que as políticas do
Governo do Maranhão para essa área do intercâmbio internacional se fortaleçam
exatamente porque demonstram seu êxito, sua importância e imprescindibilidade
para o Maranhão”, finalizou o governador Flávio Dino.

O programa
‘Cidadão do Mundo, Estágio Internacional’ é uma realização da Secretaria de
Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), financiado pela Fundação de
Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão
(Fapema). Para ele foram selecionados 17 projetos, contemplando 22 alunos que
estagiarão em instituições de ensino ou pesquisa, empresas ou prefeitura na
Argentina, Canadá, Espanha, Estados Unidos, França, Índia Inglaterra, Itália e
Portugal.
“O processo
de seleção se deu através de um edital da Fapema, uma chamada pública para
todos alunos das instituições de ensino superior do estado do Maranhão públicas
e privadas. Na concorrência, era preciso que apresentassem um professor
orientador no Maranhão, uma anuência do laboratório e da unidade que eles iriam
desenvolver um estágio no exterior e também o professor orientador também no
exterior”, explicou o presidente da Fapema, Alex Oliveira.

Entre os
alunos que receberam a outorga, o sentimento era de animação e gratidão.
Alcimar Ribeiro é estudante de mestrado em Geografia da Universidade Estadual
do Maranhão (UEMA) relatou que esta é a realização de um sonho. “Sem dúvida uma
oportunidade única, sempre quis estudar no exterior, e, agora, na reta final do
mestrado consegui esse estágio. Serão três meses numa universidade em Aveiro,
em Portugal, que lá estuda a mesma coisa que o meu mestrado aqui na UEMA, então
o que eu vi aqui, vou tentar comparar com que eu vou ver lá e na minha volta
vou poder aplicar em São Luís”, defendeu o geógrafo.

Vice-governador Carlos Brandão realiza evento para prefeitos e vice-prefeitos eleitos do PSDB no Maranhão

Os prefeitos e vice-prefeitos do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) do Maranhão, eleitos no pleito deste ano, foram recebidos na noite desta quarta-feira (26) pelo vice-governador e presidente estadual do partido, Carlos Brandão.
A residência oficial abriu as portas para receber também o governador Flávio Dino; o chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares; o presidente da Assembleia Legislativa, Humberto Coutinho; o deputado federal, José Reinaldo Tavares; além de nomes tucanos conhecidos não apenas na capital maranhense, a exemplo do senador da República, Pinto Itamaraty; do secretário de Estado, Neto Evangelista; dos deputados estaduais Sérgio Frota e Marcos Caldas; do atual prefeito da cidade de Imperatriz, Sebastião Madeira e do ex-prefeito de Açailândia, Ildemar Gonçalves. A eles se juntaram os vereadores Dr. Gutemberg, Josué Pinheiro e Eidimar Gomes. A prefeita eleita Valmira Miranda marcou presença e representou os amigos e lideranças políticas da terra natal de Carlos Brandão, a cidade de Colinas.

Durante o encontro, o vice-governador reforçou que o PSDB maranhense está à disposição dos novos gestores e destacou a responsabilidade que cada prefeito tucano possui em conhecer profundamente a realidade das suas cidades, sobretudo no que diz respeito a esse momento de transição. “Todos são bem vindos e o Palácio Henrique de La Rocque também está pronto para recebê-los a fim de que possamos – todos nós -, unirmos esforços para atender aos anseios da população do Maranhão”, destacou.
Carlos Brandão também reforçou que a premissa vale para os prefeitos dos demais partidos. Afirmativa que foi fortalecida pelo governador Flávio Dino, ao declarar, durante a sua fala, que a unidade dos partidos é de essencial relevância para a gestão, além do fato específico da parceria do Estado com os municípios ser uma premissa norteadora para o sucesso de todas as gestões.
O presidente estadual do PSDB relembrou, na sequência, o esforço dos eleitos e o trabalho de campo realizado pela sigla, o que resultou em números
históricos para o PSDB maranhense. “Evoluímos do número de oito prefeitos eleitos para 29. Isso nos levou à conquista do segundo lugar no ranking do Nordeste”. Em termos percentuais, um crescimento de 263%.
“Significa que o trabalho feito antes mesmo da campanha é mérito de cada um de vocês que se dedicou e chegou lá. Fizeram uma campanha no peito, na raça e, a maioria, até sem estrutura, enquanto o partido respondia com o trabalho de base. Agora, é hora de trabalharmos para que a gestão de vocês seja exemplar”, finalizou.
Além deste evento, o PSDB organizará ainda este ano mais um que deverá reunir uma quantidade maior de tucanos, envolvendo todos os atuais prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e demais eleitos pela sigla.

Deputados aprovam projeto que cria a Universidade da Região Tocantina (UEMASUL)

O Plenário aprovou, na sessão desta quarta-feira (26), o Projeto de Lei nº 181/2016, de autoria do Poder Executivo, que cria a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL), que terá sede em Imperatriz, como parte do projeto de regionalização do ensino superior no estado.

“A regionalização da Universidade é mais um compromisso cumprido do nosso programa de governo e atende a uma antiga aspiração da Região Tocantina”, afirma o governador Flávio Dino, na mensagem encaminhada à Assembleia Legislativa.
Além de objetivar o desenvolvimento de acordo com a vocação produtiva da região, o projeto de lei do governo prevê autonomia administrativa à nova Universidade.
De acordo com o texto aprovado no Plenário da Assembleia, todos os bens imóveis e móveis atualmente pertencentes à Universidade Estadual do Maranhão (Uema) na região passam a fazer parte do patrimônio da UemaSul e serão aplicados de acordo com as especificidades da localidade. O projeto especifica ainda que a lista de municípios que será atendida pela nova universidade será fixada em decreto posterior à aprovação da lei.
No encaminhamento da votação, os deputados Marco Aurélio (PCdoB) e Bira do Pindaré (PSB) defenderam a aprovação do projeto. De acordo com o deputado Marco Aurélio, há mais de 20 anos a comunidade acadêmica da Região Tocantina luta e espera por esse momento de autonomia para a Universidade Estadual da Região Sul. Ele ressaltou que a atual dependência da Uema de Imperatriz da reitoria, que fica localizada em São Luís, retarda o desenvolvimento universitário para a região.
“Nós vamos ganhar uma reitoria presente. Vendo as necessidades e sendo cobrados todos os dias pela comunidade acadêmica. Coisa que é uma distância tão grande, não só os 630 km de distância, mas o distanciamento institucional, acima de tudo. O que temos a ganhar? A nossa liberdade como região, o fortalecimento do nosso ensino superior”, disse o parlamentar em discurso no Plenário.
Quem também enfatizou os ganhos com a aprovação da criação da UemaSul foi o deputado Bira do Pindaré. Segundo o parlamentar, só quem não conhece a Região do Sul do Maranhão é que pode ser contra uma proposição como essa.
“Tenho certeza que vai ser uma experiência exitosa. Eu não posso crer que o Ceará tenha universidade regional, que Paraíba tenha universidade regional, que Pernambuco tenha universidade regional, que o Pará e o Piauí tenham e alguém quer me convencer que o Maranhão, não pode ter Universidade Regional”, frisou Bira do Pindaré.
Do Jornal Pequeno

Governador Flavio Dino inaugura maior Instituto de Genética Forense do Brasil

O trabalho investigativo da Polícia Civil maranhense passa a contar com uma ferramenta de extrema resolutividade na elucidação de casos criminais. O governador Flávio Dino inaugurou, na tarde desta terça-feira (25), o Instituto de Genética Forense (IGF), o maior em estrutura física do Brasil. O órgão vai integrar a Superintendência de Polícia Técnico-Científica (SPTC) e tornar possível a análise de elementos do perfil genético – sangue, unha, fio de cabelo, saliva, suor e pele – para detectar autorias de crimes.
Antes, esse material era enviado a laboratórios de outros estados e levava semanas e até meses para conclusão das análises. Agora, o resultado sairá no prazo máximo de cinco dias, diminuindo em 60% o tempo de apuração e somando na rápida solução dos casos.
Durante a solenidade de inauguração, o governador Flávio Dino destacou que o IGN representa duas importantes conquistas: a economia de recursos e a velocidade nas investigações. “Significa mais qualidade na polícia técnica para viabilizar a apuração mais rápida da autoria de crimes contra a vida, sexuais, e cometidos normalmente com violência”, destacou.
De acordo com o governador, esses inquéritos ficavam muitas vezes por meses parados, esperando retorno dessa prova que vinha de outros estados e agora o cenário é o contrário. “Além de nós podermos em uma, duas semanas, elucidarmos esse exame genético aqui no estado, nós poderemos também prestar colaboração a outras polícias do país, o que significa também que nós estamos integrando melhor o nosso sistema de segurança ao de outros estados e mesmo em nível federal porque é importante haver um banco de dados em nível estadual, mas também nacional, coordenado pela Polícia Federal, para que haja uma elucidação mais rápida”, reiterou.
“É um instituto que está entre os melhores do Brasil e é fundamental para a investigação criminal, uma vez que vai individualizar dados de pessoas e agilizar os resultados, que antes só podiam ser feitos em outros estados”, pontuou o secretário de Estado da Segurança Pública (SSP), Jefferson Portela.
O secretário destacou, ainda, que o órgão é um aporte forte do Governo do Estado com todos os equipamentos tecnológicos que a perícia precisa. “Agora teremos o alcance da prova técnica que define a aplicação da lei penal com toda a segurança, contribuindo para a melhor avaliação de promotores e juízes. Certamente, um instrumento de grande significado para a Polícia Civil do Maranhão”, disse o titular da SSP-MA.
O Instituto de Genética Forense nada fica a dever a nenhum estado da Federação em tecnologia, estrutura e modernidade, enfatiza o delegado geral de Polícia Civil, Lawrence Melo. “O pleno funcionamento deste instituto mostra o compromisso do governador Flávio Dino com a modernização da polícia maranhense e com a rápida resposta à sociedade na solução de crimes hediondos. Com o instituto, o Maranhão passará de usuário deste serviço a fornecedor de tecnologia para regiões que não possuem ou que não têm acesso a esta ferramenta”, destacou o delegado geral.
Na avaliação do delegado-geral, a importância do órgão se dá por qualificar, agilizar e modernizar a investigação criminal. Ainda por elevar o nível da investigação da polícia do Maranhão ao de corporações de grandes estados que sempre estiveram na vanguarda dos recursos tecnológicos, a exemplo de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná. Por meio do laboratório, poderão ser analisados elementos como resíduos orgânicos, suor, sangue, pedaços de pele, unha, fios de cabelo e saliva. Antes, este material era enviado a laboratórios de outros estados, tornando mais demorada a conclusão de um exame.
“O instituto veio para tornar ainda mais qualificada e profissional e representa o avanço da capacidade de investigação da Polícia Civil”, enfatizou o superintendente de Polícia Técnico-Científica, perito Miguel Alves Neto. A diretora do IGF, perita Christiane Cutrim, pontuou que o órgão vai dinamizar os trabalhos de investigação conferindo mais agilidade e melhorando o nível de resolutividade de casos hediondos. 
Os casos criminais que podem ser levados ao instituto são os que necessitem identificação de suspeitos. Na lista de crimes estão os crimes sexuais; de identificação de cadáveres (carbonizados, em decomposição, para identificar partes de órgãos e pessoas desaparecidas); identificação de autoria (relação de instrumentos lesivos – armas em geral – e vítimas); paternidade criminal resultante de estupro, incesto e aborto provocado; estudo de vínculo genético (anulações de registros civis de nascimento, rapto e sequestro de crianças, tráfico de menores); comparação de perfis genéticos para estabelecer autoria de crimes em serie e outros. “Onde não houver identificação física partiremos para o perfil genético dos restos mortais no instituto”, explica Lawrence Melo.
A equipe de profissionais é composta por peritos criminais especializados em Genética Forense e Biologia Molecular. E para potencializar essa formação, a equipe vai participar de treinamento com agentes da Polícia Técnica italiana que virá à capital especialmente para esse fim. “Estamos inaugurando este instituto com o que há de mais avanço no país em aparelhamento e seguindo parâmetros nacionais e internacionais”, disse o delegado geral Lawrence Melo, referindo à estrutura física e de materiais; meios de coleta, armazenamento e análise das amostras antes de transformá-las em perfil genético; e a formação específica do material humano.  
Investigação especializada
O Instituto de Genética Forense (IGF),  vai permitir a inclusão da polícia maranhense no Cadastro Nacional de Banco de Dados Genéticos – Codis, cuja estrutura tecnológica é a mesma utilizada pelo Federal Bureau of Investigation (FBI), a polícia norteamericana. Este sistema armazena, de forma virtual, o perfil genético extraído do DNA. Garante mais segurança, pois é protegido contra invasão de hackers e mantém o material preservado. Esses dados podem ser acessados pelas polícias do país incluídas no sistema.
O Maranhão já possui 132 pessoas no banco de dados que serão incluídas no sistema nacional. Outros 1200 foram coletados e serão analisados para extração do material genético e inclusão no sistema nacional. Estas amostras estão guardadas fisicamente no Laboratório de Análise Forense (Inlaf) – onde são analisados os exames do Instituto Médico Legal (IML). Algumas destas armazenadas há meses no aguardo de vaga para serem enviadas aos laboratórios de outros estados. A média enviada era de 30 exames por mês. “Agora, essas análises serão feitas todas aqui no Estado e vão se transformar em amostras virtuais lançadas no sistema, sendo preservadas para sempre”, enfatiza Lawrence Melo.
O banco de dados será abastecido com as coletas de material genético realizado em detentos sentenciados, conforme prevê a Lei Federal 12.654/12. A norma determina a ‘coleta compulsória do material genético de condenados por crimes hediondos e de violência grave e dolosa contra a pessoa, além da identificação criminal quando for essencial à investigação’. Para a implantação do IGF foram investidos pouco mais de R$ 3 milhões em estrutura física, tornando o instituto um dos maiores do país; equipamentos modernos e de alta tecnologia; e pessoal altamente qualificado e especializado. 
No Brasil, existem 20 laboratórios para análises genéticas com o sistema Codis, que passou a ser usado em 2011. Até então, apenas a Polícia Federal centralizava esse cruzamento. A criação do Instituto de Genética Forense (IGF) segue lei estadual nº 10.238, de 13 de maio de 2015, que trata da reorganização da Polícia Civil maranhense e institucionaliza o instituto de genética forense para atender à demanda da polícia técnico-científica para a investigação de crimes violentos letais intencionais e demais crimes hediondos.

Centro de Imagens Antonio Joaquim da Cunha convida para I Caminhada Outubro Rosa.

A direção do
Centro de Imagens Antonio Joaquim da Cunha, na pessoa do diretor Fernando Gama
convida para I Caminhada Outubro Rosa, que será realizada na próxima
sexta-feira 28 de outubro, no Balneário da Tiuba em Tuntum, com inicio as 16:30
horas. Haverá ainda sorteio de brindes e um coquetel para os participantes. 

Futebol Brasileiro de luto, morre Carlos Alberto Torres o capitão do tri.

A braçadeira
de capitão sempre lhe caiu bem. Porte esguio, olhar penetrante, personalidade
marcante. Não tinha jogador que não ouvisse com atenção suas observações, seus
conselhos ou, na pior das hipóteses, suas broncas. Nem Pelé escapava, e
foram  muitas as vezes em que precisou
até baixar a cabeça. E foi esse grande capitão que o futebol brasileiro e o
mundo perderam nesta terça-feira, aos 72 anos. Morreu na manhã desta
terça-feira, no Rio de Janeiro, vítima de enfarte fulminante, Carlos Alberto
Torres, atualmente comentarista do SporTV. Nome e sobrenome de craque. O homem
do tricampeonato mundial em 1970, que beijou e levantou a Taça Jules Rimet. O
pai de Andrea e de Alexandre Torres, zagueiro que atuou no Fluminense e no
Vasco.
Casado três
vezes, uma das esposas foi a atriz Terezinha Sodré, o capitão do tri, que
também foi vereador no Rio, de 1989 a 1993, pelo PDT, estava em casa quando
passou mal, na Barra da Tijuca. Ainda foi levado para o Hospital Riomar, onde
chegou por volta das 11h (de Brasília) com
parada
cardiorrespiratória, mas as tentativas de reanimá-lo foram em vão. O detalhe é
que Carlos Alberto tinha um irmão gêmeo, Carlos Roberto, falecido há um mês.
– Tudo foi
feito, mas não teve reanimação. Foi provavelmente um infarto agudo do
miocárdio. Algumas vezes obtemos êxito. Teríamos condições de reanimar com
procedimento, mas ele não nos deu essa chance – disse o médico Marcelo Meucci.
Nascido a 17
de julho de 1944, carioca do bairro da Vila da Penha, Carlos Alberto, seja como
lateral-direito, onde começou na base do Fluminense, seja como zagueiro, sempre
desfilou pelos gramados uma classe com a bola nos pés em que não ficava para
trás nem para um astro do nível de Franz Beckenbauer. Santos, Botafogo,
Flamengo e New York Cosmos tiveram em campo a sua classe. Era reverenciado no
mundo todo pelo seu passado. Depois, como treinador, o Capita, como era
carinhosamente chamado, teve como pontos altos a conquista do Campeonato
Brasileiro de 1983, pelo Flamengo, da Copa Conmebol, em 1993, pelo Botafogo, e
do Campeonato Carioca de 1984, pelo Fluminense.
Como
jogador, Carlos Alberto conquistou uma penca de títulos. No Fluminense, clube
de coração, onde começou a carreira, ganhou o Carioca em 1964, quando estourou,
e depois, no seu retorno, os de 1975 e 1976, com a famosa Máquina montada pelo
presidente eterno Francisco Horta. No Santos de Pelé, onde chegou em 1965,
ainda garoto, e viveu o auge, atuando ao lado de craques como o próprio Rei do
Futebol, Edu e Clodoaldo, companheiros de tricampeonato mundial, levou a Taça
Brasil em 1965 e 1968, o Torneio Rio-São Paulo em 1966, a Recopa Sul-Americana
em 1968 e muitos campeonatos paulistas – 1965, 1967, 1968, 1969 e 1973.
Em sua breve
passagem pelo Botafogo em 1971, emprestado pelo Santos, Carlos Alberto Torres
não conquistou títulos mas teve também presença marcante, atuando ao lado de
craques como Jairzinho, Paulo Cezar Caju e outros. Depois, voltou ao Peixe,
ainda no mesmo ano, onde ficou até 1974. Retornou então ao Fluminense, onde
viveu outro grande momento em sua carreira, com a Máquina de Rivellino, Paulo
Cezar, Pintinho, Doval & Cia.
Saiu da
Máquina em 1977 para atuar no Flamengo de Zico, onde também passou em branco
mas viu começar ali aquela que seria a maior equipe rubro-negra da história.
Depois, reviu Zico, Junior, Leandro e Adílio quando os comandou na conquista do
Brasileiro de 1983.

O pouco
tempo no Flamengo como jogador teve explicação. O New York Cosmos o queria. Já
como zagueiro, Carlos Alberto foi para a equipe americana recém-montada para
atuar com supercraques. O Cosmos ficou conhecido por reunir uma verdadeira
seleção mundial, de Pelé a Franz Beckenbauer. E o Capita, por lá, foi campeão
por quatro temporadas, 1977, 1978, 1980 e 1982. Levantar taça era com ele
mesmo.

Do Globo Esporte